quarta-feira, abril 13, 2005

Sinónimos de energia

Na edição de 12 de Abril, o "Jornal de Notícias" (JN) publicou um inquérito a quatro transeuntes sobre eficiência energética. É um expediente normal, usado e abusado pelos jornais para dar voz às massas. Em quatro curtas declarações, os porta-vozes escolhidos ao acaso comentam um tema actual e aparentemente expressam a diversidade do pulsar da comunidade. À excepção talvez dos inquéritos do “Público” (que me dão sempre a ideia, talvez errada, de que os transeuntes são escolhidos a dedo ), a secção de inquérito é um fórum exterior ao jornal, uma concessão da publicação à comunidade.
Este inquérito do JN pareceu-me um verdadeiro espelho da nação, da sua percepção colectiva e da sua habilidade (ou falta dela) para lidar com políticas de longo prazo. Ora atentem:
A pergunta do dia era: “A subida do preço do combustível leva-o o alterar os hábitos de utilização do carro?”
Responde o empresário: “Não. Sou obrigado a andar de carro.”
Acrescenta o segurança: “Mudei um bocadinho. Já não dou voltas tão grandes ao domingo. Mas levo o carro para o emprego porque lá tenho lugar.”
Junta a contabilista: “ Noto a diferença de preço, mas, mesmo que quisesse optar por alternativas mais baratas, não ia conseguir conciliar.”
Remata o escriturário, mais profundo e ponderado: “Não mudei porque utilizo o automóvel para levar o miúdo à escola e para deslocar-me ao emprego. Sou contra o aumento. Considero que as gasolineiras, em vez de darem pontos aos clientes, deviam baixar os preços.”
Verdadeira metáfora da nação. Das duas, uma: ou o inquérito não colheu uma amostra representativa (é bem possível), ou vamos chegar a um ponto razoável de eficiência energética lá para 2100. Quando as gasolinas já não derem pontos e as voltas ao domingo forem mais curtas!

3 comentários:

Anónimo disse...

É de facto preocupante. Um abraço e bem-vindo de volta à blogosfera

Anónimo disse...

Acabar com as voltas de Domingo à tarde é uma heresia!!
Um passatempo dessa importância cultural é vital p os portugueses.
Ver as vistas da localidade pela milésima vez, ouvir o relato da bola no automóvel, ir ao hiper mostrar o novo fato de treino...
Actividades fulcrais, como a volta automobilistica dominical, deveriam ser classificadas de interesse nacional! :)

patrimonios.blog.com

Joao Soares disse...

Quem disse q Portugal tem milhares de pobres??
O truque é a velha desculpa do costume: "pobre eu?"
Muito futebol nas cabeças (vejam quem patrocina a Liga;estejam atentos aos reclemaes publicitários de varias estações de rádio e TV)
Talvez começando pelo boicote e menos paixão por futebol,íamos mais longe....
http://bioterra.blogspot.com