sexta-feira, junho 16, 2006

Rir, Rir, Rir

É o melhor remédio, meus senhores. Por necessidades profissionais, acompanho, desde 2001, a saga da Estratégia Nacional de Desenvolvimento Sustentável. Que pagode! A União Europeia espera, e desespera, pela produção do documento. Reúnem-se as comissões. Algumas juntam mesmo gente boa, com vasta produção literária na matéria, mas a máquina emperra. Emperra sempre.
O documento devceria estar pronto no final de 2005. Por essa Europa fora, as estratégias foram sempre delineadas – e pasme-se – executadas, até porque os programas foram pensados como respostas europeias à década da Nações Unidas da Educação para o Desenvolvimento Sustentável. Que começava em 2005 e terminaria em 2014. Menos em Portugal: estamos em Junho de 2006, e a década do Desenvolvimento Sustentável está presa no lodo da burocracia. Não avança nem recua. Contorce-se, resignada, como tudo nesta terra.
Juntou-se a comissão para produzir um documento (o terceiro, recordo. Nestas coisas da legislação todo o governo quer meter a sua colher). Mandou-o aos senhores ministros para avaliação e debate. Nos governos, recordo, avalia-se e debate-se com afinco.
Uma vez aprovado, o documento seguirá para discussão pública. Mais meses de espera. Mais indefinição. Palpita-me que a nossa década do Desenvolvimento Sustentável começará em 2007. Com dois anos de atraso. Não está mal.
Ironicamente, o texto provisório do documento revela que, até final de 2015, Portugal deverá aproximar o seu desenvolvimento económico da média europeia, deverá entrar para a lista dos primeiros 15 países do Índice de Desenvolvimento Humano da ONU e dos 25 países mais competitivos do mundo.
Não se ria, senhor leitor. Isto é muito sério…

3 comentários:

Jorge Frias disse...

Tenha juizo e minta menos, sr. Pereira. Dá vontade de rir mas não é por aquilo que pensa

Gonçalo Pereira disse...

Não retiro uma vírgula ao que escrevi.

Gonçalo Pereira disse...

Mas gosto particularmente de ser tratado por senhor Pereira.